Saiu no Estado de Minas: reciclagem é solução para detritos

Saiu no Estado de Minas, na seção Opinião, um breve artigo do Presidente da MJM, Márcio Motta,intitulado Soluções para Era do Lixo. 

Nele são discorridos temas como destinação dos resíduos e o que o reaproveitamento desses materiais podem representar em retorno financeiro para os países que estão na dianteira desse processo. Confira na integra o artigo.

Reciclagem é preciso

Reciclagem é preciso

Soluções para a Era do Lixo

Márcio Motta

Biólogo, sócio e presidente da consultoria MJM Ambiental

 

O lixo,evidentemente,é tão velho quanto a humanidade. Porém,a natureza vinha realizando com perfeição a reciclagem desses detritos há quase 200 mil anos. Até que, com a revolução industrial iniciada no século17, o volume e a qualidade do lixo produzido pelo homem não podia mais ser degradado com a mesma agilidade pelo meio ambiente. A grande quantidade de restos e as características de materiais como plástico, isopor, vidros, entre outros, dificultam sua decomposição. Assim surgiu um dos maiores desafios que a humanidade enfrenta atualmente.Hoje,nos perguntamos: o que fazer com o nosso lixo.

 

A primeira alternativa foi descartá-lo indiscriminadamente na superfície terrestre. Até que se percebeu o quão prejudicial isso era para a qualidade dos solos, das águas e da vida desses ecossistemas.Uma alternativa foi queimá-lo.O que também se verificou não ser uma boa solução em função da fumaça tóxica emitida por diversos materiais. Por fim, começamos a realizar coleta e descartar o lixo em aterros,que,apesar de receberem alguns cuidados para não causar a poluição do meio ambiente ao seu entorno, nem sempre é possível disponibilizar espaço suficiente para sua construção. Aqui estamos, na Era do Lixo,com um turbilhão de resíduos se acumulando acada dia, sem imaginar onde poderemos eliminá-lo nas próximas décadas. Alguns países mais ricos conseguem artifíciosparaexportar seulixoparapaíses maispobres.Alternativaquenãoresolve oproblema, mas apenas o“esconde” das nossas vistas. Países da África, por exemplo,chegam a receber 90% do lixo eletrônico do mundo, material considerado altamente tóxico. A única saída sustentável para o problema do lixo, até então, é fazer como a do meio ambiente, providenciar um destino útil para todo lixo que produzimos. Além disso, seria fundamental para a sustentabilidade do nosso planeta se todos, tanto sociedade quanto estado,se dedicassem a colocar em prática a conhecida teoria dos 3R.Reduzir o consumo,reutilizar os descartes e reciclar o lixo. É preciso compreender que tudo o que foge a essa regra e se acumula no meio ambiente,de alguma maneira gera consequências maléficas que se voltam aos humanos e demais seres vivos. A teoria dos 3R, além de fazer bem para o planeta, pode ser lucrativa se bem utilizada. A Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrepe) divulgou pesquisa indicando dados sobre o ganho anual, em dólares, pelos países por meio da reciclagem de lixo. Segundo os números, os Estados Unidos reciclam 34% do seu lixo e arrecadam US$ 57 bilhões com o feito. A China recicla 35% e arrecada US$ 34 bilhões.

O Brasil, que ainda engatinha na incorporação do processo de reciclagem, reutiliza 1,4% de seu lixo e consegue arrecadar US$ 10 bilhões. Sabendo que a reciclagem é a única saída viável encontrada para o problema mundial do lixo, vale a máxima: “Pensar globalmente e agir localmente”.Quando cada cidadão, cada município e cada país adotar medidas eficazes para reduzir, reutilizar e reciclar a própria “sujeira”, poderemos, enfim, sair da Era do Lixo e, sem dúvidas, se beneficiar de uma nova era.