Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina

Por Helena Noronha. Economista e Colaboradora da MJM Serviços Técnicos Ambientais

Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina

Cora Coralina

 

Aproveitando o Dia dos Professores, decidimos escrever sobre a importância desse profissional em nossa sociedade. No Brasil, o Dia do Professor é comemorado no dia 15 de Outubro, data em que será comemorado também o Dia do Consumo Consciente.

Figura importante no processo educativo, o professor é responsável pela formação de cidadãos e por ensinar desde cedo as diversas áreas do conhecimento, sobre a vida e a sociedade.

A MJM enxerga que o professor é fundamental no desenvolvimento do aluno e de um cidadão consciente. E para auxiliá-lo neste seu papel louvável de transformação social, a MJM promove capacitações para os professores, através de palestras, oficinas, cursos e etc, pois acredita que assim podemos nos tornar uma sociedade mais sustentável.

O tempo em que o professor era apenas um transmissor de conhecimento já se foi. Atualmente, transformou-se em um facilitador de conhecimento que gera no aluno a dúvida, a reflexão e a contestação sobre a realidade que o cerca. Assume assim, um importante papel de educar para o futuro e para uma atitude ética, revelando assim a necessidade de uma reflexão sobre a responsabilidade social de cada um.

Para que a experiência educacional seja valorizada, é de grande importância que os conhecimentos teóricos ou práticos adquiridos possam ser vividos e compartilhados pelos que aprendem. É nesta troca de saberes que a educação pode resgatar seu valor, para além da produção de conteúdos, diplomas e de certificados.

Mas de que adianta ficarmos trabalhando conteúdos escolares, se não damos condições para os alunos se virarem sozinhos, diante das dificuldades da vida? Esse é o novo compromisso social da educação, qualificar para manter boas condições de lidar com os aspectos complexos da vida em sociedade.

Como exemplo prático disso, ações como o aproveitamento de materiais descartáveis são uma forma de enriquecer o conhecimento, além de mostrar que o lixo precisa ser transformado. Com o lixo descartado, pode-se levar para a sala de aula técnicas que estimulem o saber, o aprender, pois o resultado aparece quase que instantaneamente, de forma rápida, e é isso que os alunos gostam. Montar brinquedos, fazer artesanato é uma boa opção. Os produtos construídos podem ir para o acervo da escola ou serem doados para uma instituição que atende pessoas carentes. Comercializá-los levará os alunos a aprenderem que seu trabalho tem valor e que é possível iniciar as primeiras atividades lucrativas, além de se trabalhar a sustentabilidade e o consumo consciente.

Montar uma horta na escola é outra forma enriquecedora de trabalhar a sustentabilidade. Técnicas de plantio podem ser ensinadas aos alunos, que poderão cultivar espécies vegetais que garantam a qualidade de uma boa refeição e esses aprendizados podem ser estendidos para suas casas.

Às vezes os alunos têm frutas no quintal de casa e não sabem reaproveitá-las, como bananas, abacates, laranjas, limões, mamões, etc. O professor pode capacitar os mesmos para estas aprendizagens. Com uma cozinha experimental, pode-se ensinar a fazer compotas de doces e aproveitar as frutas que antes eram desperdiçadas. As cascas poderão ir para receitas de tortas, sucos ou mesmo para a horta da escola, servindo como adubo. E aos poucos, cria-se a consciência de que através da transformação é possível sobreviver.

Precisamos mostrar que a coletividade é uma forma de crescer e que um grupo de pessoas pode transformar a sociedade. Dessa forma nossos alunos estarão convivendo com conceitos e conteúdos como matemática, ciências, português e também o de sustentabilidade, conteúdos e aprendizados que ficarão por toda a vida. E transformaremos o mundo através de pequenas atitudes, primeiramente realizadas por pequenos grupos.

Desta forma, o professor não deve mais ser o ponto final de qualquer aprendizado, passou a ser o ponto inicial do aprendizado levando o aluno a questionar, inovar, a desenvolver e a procurar respostas para as  perguntas que devem surgir , desta forma o professor passa a ser não mais o guia, mas quem aponta o caminho. Deixam de ser meros figurantes para serem verdadeiros mestres.

 

Parabéns a todos os professores!