Captação e armazenamento de águas pluviais é abordado por Márcio Motta no MGTV

A captação e armazenamento de águas pluviais é uma excelente alternativa em tempos de crise hídrica no país, além de contribuir para redução do consumo e do valor da conta de água nas residencias. Em Minas, muitos prédios tem adotado a captação de água das chuvas, que serve para molhar plantas e limpar áreas comuns.

 

Os reservatórios responsáveis pelo abastecimento da região metropolitana de Minas e várias regiões do país, mesmo com as chuvas das últimas semanas ainda não saíram do nível crítico. Por isso, mais que uma ação isolada, a prática de captar água das chuvas em casa precisa ser vista como necessária, se tornando parte do cotidiano das pessoas e resultado de uma preocupação coletiva com o meio ambiente.

 

Mesmo a captação e armazenamento de águas pluviais sendo uma ação positiva é necessário tomar cuidados para que ao invés de uma fonte de água, que contribui no dia-a-dia, esta não se torne um problema para saúde. Pensando nisso, é necessário tomar alguns cuidados com a água captada por esses sistemas estruturados com calhas e cisternas. Foi sobre isso que o biólogo e presidente da MJM, Márcio Motta, falou em reportagem ao Jornal  MGTV.

Márcio Motta aponta quais são os cuidados necessários para que o sistema de captação de água domiciliar funcione.

Márcio Motta aponta quais são os cuidados necessários para que o sistema de captação de água domiciliar funcione.

Cuidados a serem tomados:

Manter o reservatório fechado;

Cuidar para que o caimento da calha esteja sempre alinhado (evitando o acúmulo de água no sistema e proliferação de larvas do mosquito da dengue);

Realizar limpeza periódica do sistema de capitação (calhas e cisterna).

 

Assista a reportagem na integra:

http://g1.globo.com/minas-gerais/videos/t/mgtv-1-edicao/v/mgtv-1-edicao-programa-de-quinta-feira-712016-na-integra/4722771/